Gloster

O Gloster é um canário pequeno, robusto, gracioso, belo, alegre, prolifero e tende ao diminutivo, tendo seu tamanho em torno dos 11 cm. E este canário fascina a todos justamente por estas características, por seu topete que lhe assegura um charme todo especial e por suas diversas cores: branco, amarelo, verde, azul, canela e os pintados que podem mesclar todas essas cores de maneira peculiar.

 Para iniciar uma criação de canários Glosters é necessário buscar um conhecimento básico sobre essa raça em livros, manuais de julgamentos, revistas ornitológicas, sites e em conversas com os criadores dessa raça. Depois deste primeiro contato é necessário fazer a aquisição de bons canários para serem usados como matrizes, preferencialmente adquirindo os mesmos de criadores respeitados e que já obtém bons resultados nos campeonatos em que participam. Esta é a principal dica a ser seguida, quando iniciamos a criação com bons canários, que trazem consigo um patrimônio genético de qualidade que vem sendo construído ao longo de anos, a chance de criarmos bons canários é muito grande. E observando a tendência de miniaturização do canário Gloster, devemos adquirir Glosters pequenos, com boas cabeças/topetes, bom corpo e boa plumagem, pois são as características ideais e determinantes. 

Os Gloster são divididos em dois: os canários com topete conhecidos como “corona” e os canários sem topete conhecidos como “consort”. Tendo estes canários as seguintes características:

 

1 – Tamanho: menor possível, sendo ideal em torno dos 11 cm.

2 – Topete / Cabeça

Topete (corona): bem redondo, cheio, rico em penas, simétrico, perfeitamente aderente à nuca e o ponto central de onde se irradiam as penas é um pequeno ponto de no máximo 1 mm de diâmetro. Olhos visíveis, bico cônico e pequeno.

Cabeça (consort): possui a cabeça redonda sobre todos os ângulos, penas longas e sobrancelhas bem evidentes como devem ser todos os parceiros de pássaros de topete.

O bico é curto e cônico, olhos mais próximos do bico que da nuca, que com uma curva reversa quase imperceptível, faz concordância com o dorso.

3 – Corpo: pescoço curtíssimo e grosso, ligando a cabeça harmoniosamente, ao dorso, peito e ombros. O dorso é ligeiramente arredondado, ombros largos, peito amplo com afunilamento pronunciado em direção a cauda.

4 – Plumagem: Deve ser compacta, sem frisos ou penas soltas e, são aceitas todas as cores, à exceção do fundo vermelho. As asas, também curtas, assentam-se perfeitamente sobre o dorso sem cruzar as pontas, que se apóiam sobre a rabadilha.

5 – Posição: Altiva; aproximadamente 45° com a horizontal. Movimentação constante.

6 – Cauda: Curta, compacta, no alinhamento do dorso.

7 – Pernas e Pés: As pernas, que apresentam coxas invisíveis na plumagem, são implantadas bem atrás do corpo. As canelas são curtas com dedos e unhas perfeitos e delicados, característicos das raças pequenas.

8 – Condição Geral: É um pássaro vivo, de movimentações constantes, que deve estar perfeitamente limpo e saudável, para que esteja completo o pássaro ideal.

Seleção dos pássaros para criação:

A seleção visual é tão importante quanto à linhagem. Ao ter que escolher entre pássaros similares, busque conhecer a linhagem e escolha o pássaro com os melhores antepassados. E nunca parta do pressuposto que um pássaro premiado produzirá bons filhotes. A maquiagem genética de um pássaro é muito complexa e alguns campeões nuca produzirão um pássaro de concurso em sua vida. Jamais escolha Gloster com quistos pois são um pesadelo na criação e evite Glosters com pés e pernas grandes, lembre-se sempre do padrão da raça.

Quais machos escolher?

Os machos férteis podem ser usados, geralmente, por cinco anos, desde que produzam filhotes de qualidade. Os machos que são bons alimentadores são inestimáveis. Assegure-se de manter os melhores pássaros irmãos e primos de seus melhores machos, você pode usá-los para diversificação genética sem mudar a linhagem muito drasticamente, e pode surpreender-se ao descobrir que estes primos ou irmãos dos melhores machos estão produzindo seus melhores filhotes. A maior parte do tempo os irmãos ou as irmãs de campeões são sua maior aposta, não importa que não pareçam. Os machos que são agressivos na gaiola de filhotes são um desgosto. Se for possível livre-se deles. O caráter, como todo resto, é hereditário.

Os machos de Gloster que parecem fêmeas são os melhores. Serão, geralmente, de tipo excepcional e menor que a maioria dos machos. Pode-se basear uma criação inteira em tais machos, suas filhas serão extremamente difíceis de se bater em concurso. Assegure-se que os machos mostrem a cor mais intensa, porque as fêmeas geralmente mostram a cor mais apagada.

Quais fêmeas escolher?

As fêmeas férteis podem ser utilizadas, facilmente, por quatro anos, desde que produzam filhotes de qualidade. O êxito do criadouro se baseia na capacidade de criação de suas fêmeas. Como o standard do Gloster se baseia em pássaros pequenos, não há razão para não ter fêmeas de boa produção. Se você utiliza fêmeas com grandes topetes, pode-se recortar o topete antes do período de cria e fazendo isso você dará a sua fêmea, oportunidade de cuidar dos seus filhotes como as canárias “normais”. Assegure-se de cortar o topete um mês antes de criar para dar à fêmea a possibilidade de acostumar-se a ver o mundo em que ela vive.

A capacidade de criação também se herda. Sempre considere as filhas de suas fêmeas que são boas criadeiras primeiro, desde que exibam o tipo que se necessita. Uma fêmea de qualidade média, mas de bons hábitos de criação sempre será superior a uma fêmea de qualidade superior improdutiva. Assegure-se de ficar com as fêmeas que criam bem, mas que estão relacionadas com o seu melhor pássaro. As possibilidades de que saia um campeão virá de uma delas. As fêmeas devem ter muito tipo, pois estas fêmeas podem ter machos que se parecem com elas e assim você melhora.

Quais topetes (coronas) escolher?

O corona é provavelmente o canário de tipo mais difícil de produzir. Nunca guarde um pássaro com o topete defeituoso. Trate de limitar sua seleção a pássaros que mostrem um topete redondo, com um centro bem definido e com abundância de penas na parte frontal do topete. Um bom Gloster é um pássaro equilibrado, com topete proporcional com o resto do corpo. Seria preferível ter um pássaro com um grande topete/cabeça para alcançar futuros objetivos. Se você tem bons topetes assegure-se de mantê-los cruzando-os com pássaros de qualidade. Se não tem bons topetes, saia e consiga alguns. Não aparecerá magicamente. E você não viverá tempo bastante para repetir o trabalho de gerações de criadores especialistas.

Quais sem topetes (consort) escolher?

Você deve concentrar-se naqueles pássaros com a cabeça valente para atrair a atenção do juiz. Digam o que disser sua teoria deve ser: ao final os juízes têm a última palavra. A criação de consorts não tem as complexidades genéticas dos coronas, é só manter em mente o ideal de consort. Usando pássaros com boa cabeça, sobrancelhas bem evidentes e ótima forma.

Haverá sempre exceções a uma regra, mas na maioria dos casos algumas famílias produzem consorts melhores e outras produzem coronas melhores. Isto é verdade dentro de uma mesma linhagem.

Dentro deste contexto espero ter compartilhado com os atuais e futuros criadores sobre está raça, algum conhecimento que seja de valia para suas criações e apresentar esses pássaros as pessoas que ainda não os conheciam e certamente se encantarão com sua beleza, simpatia e simplicidade.

 

Cleiton Giovani Benetti

atendimento@soc-caxias.com.br
soc-caxias@soc-caxias.com.br

Rua Borges de Medeiros, 42 A - Centro
Caixa Postal 455 - CEP 95100-000 - Caxias do Sul

Edgar - 54 99978.3018
Duval - 54 99693.9295